Relatos de uma endoscopia bem-sucedida

161129-brisa-485x364

Inspirada em minhas recentes aventuras numa clínica no Alto da Lapa, em São Paulo, misturada a outras vividas em outras clínicas, em Minas Gerais – aliadas a um desejo agora declarado de que as “viagens” com supervisão médica fossem uma prática de lazer e entretenimento –, apresento aqui os relatos de uma paciente de um dos grandes males do século: a gastrite (e suas derivações gástricas, como refluxo, esofagite, úlcera e afins). Segundo informações de internet nada precisas, o Omeprazol – remédio usado em tratamentos gástricos – é um dos medicamentos mais consumidos no mundo e mais da metade da população mundial será afetada pela gastrite em algum momento da vida, com as chances aumentando à medida que os anos se acumulam. Proponho, portanto, aos sofredores gástricos que nos unamos! Somos a maioria ácida e dolorida! Que encontremos algum prazer na dor!

Agora, o relato:

Para continuar lendo, veja a coluna no site Outras Palavras.

Só não seremos fofas

161117-laerte-e1479412079614

By Laerte

Aprendi um termo novo esses dias: conformidade de gênero. Não tinha o vocabulário correto, mas a sensação, sim, claro. Há mulheres mais ou menos de acordo com o que se espera delas, assim como há homens considerados masculinos o bastante – ou não. Se sua intuição está agora te dizendo que quem tem maior conformidade de gênero só pode ser a mulher cis heterossexual, por exemplo, volte duas casas. Não necessariamente. A mulher trans pode ser muito mais lady. Conformidade de gênero, segundo aprendi, não tem a ver com orientação sexual nem com identidade de gênero, mas sim com o que se espera do comportamento social do seu gênero. Ou seja, quão feminina ou masculino é você?

Para continuar lendo, veja a coluna no site Outras Palavras.

Congada São Benedito de Gonçalves

scan30

scan29

scan32

scan33

scan35

scan36

scan34

scan38

scan31   scan37

Congada São Benedito de Gonçalves.
Gonçalves, Minas Gerais, Brasil – julho 2016.
Photos by Maria Bitarello.
Canon AE-1 / Kodak 400 TX

Classe média: o fetiche do igual

flock-of-sheep
Há uns anos ouvi um
podcast de rádio americana, não me lembro mais qual, em que o entrevistado daquele dia dizia que o fator determinante da pobreza – econômica, não de espírito – é a possibilidade de escolha. O pobre, dizia o entrevistado que também o era, muito mais do que carecer de coisas, pertences, bens, é privado de escolhas, de alternativas. E, salvo as exceções que sempre existem, a vida lhe impõe um caminho, muitas vezes sem bifurcações no percurso. O que o dinheiro compra, portanto, segundo o tal entrevistado, são escolhas. Fiquei pensando sobre isso muito tempo. Claro que se trata de uma dentre tantas formas possíveis de interpretação e que, de certo, é limitada. Mas vamos seguir nessa via, limitada que seja. Porque acho que ela traz insights.

Para continuar lendo, veja a coluna no site Outras Palavras.

Vamos falar sobre o que ninguém quer falar

161018-espartanas

Imagem: Edgar Degas, Jovens Espartanas (1860)

Nas artes, mulheres com tesão costumam se dar mal. Sem trocadilho. Na literatura, no cinema, na música. Veja os romances do século XIX, obcecados pela infidelidade. Neles, as mulheres sexualmente vivas ou morrem ou enlouquecem (e depois morrem). Madame Bovary, Anna Karenina, O crime do padre Amaro, a lista é longa. No filme Ninfomaníaca, de Lars von Trier, a personagem pratica uma miríade de atividades sexuais com dezenas de homens, mas o que fecha a tampa do caixão não são as preliminares da dupla penetração e, sim, o abandono do lar pela ninfa que, em nome do prazer, larga a família com criança e tudo pra perseguir o gozo. O que de pior uma mulher pode fazer além de abandonar a prole? Matá-la, talvez. Já quando um homem abandona a cria nem fofoca de bairro vira mais. É vida que segue. E o que dizer da pobre e maldita Geni, do Chico Buarque? Se fu. Claro. Deu pra geral e levou pedradas e cusparadas.

Para continuar lendo, veja a coluna no site Outras Palavras.

Mogol, o ninho da raposa amarela

A 33km de Ibitipoca, em Minas, está o arraial do Mogol. Antigamente, 15 casas eram habitadas, havia um bar. Hoje, 9 casas ainda abrigam famílias. A escola fechou. A igreja está de pé. Ela guarda as imagens do santos que sobreviveram à queda da capela que havia no alto do Pico do Pião, dentro do Parque Estadual do Ibitipoca.

scan01

Lucinha no alto do arraial com carro da Sauá Turismo

scan02

Casa 1

As casas vazias continuam lá.

scan03

Casa 2

scan08

Lucinha

scan04

Mogol de cima

Uma vez por mês, um médico visita o arraial. Pra fazer compras, as famílias esperam o ônibus para Lima Duarte, que sobe a cada 15 dias.

scan06

Arraial sob a cruz

scan05

Vista do alto

Os habitantes do Mogol têm um sotaque próprio; cantado. Gostoso que só.

scan09

Lucinha

scan07

Santos quebrados ao pé da cruz

scan10

Nós que aqui estamos por vós esperamos

scan11

Lucinha e o cemitério

scan12

Casa 3

scan13

Casas

scan14

Cão e casa

scan15

Casa 4

scan16

Rita e Lucinha

scan17

Casa 5

scan18

Casa 6

scan19

Igreja e casa da Rita e do José

scan20

Rita na cozinha de casa

scan21

Café com queijo na cozinha da casa da Rita

scan22

Gabriel e Rita na cozinha da casa dela

scan23

Vista da cozinha da casa da Rita

scan24

Rita

scan26

José

scan25

Rita

Rita mudou-se pra lá há 37 anos, quando se casou com José.

scan28

Rita e José

scan29

José e Rita

“Aqui é o ninho da raposa amarela”, diz Rita.

scan30

Mogol lá embaixo

scan31

Árvore atingida por raio

scan32

Mogol lá embaixo de novo

scan33

Árvore atingida pelo raio revive

scan34

Areal e mar de morros

scan35

Árvore, ninho, paredão e areal

scan37

Dona Maria do pão de canela / Ibitipoca

scan38

Josué da cachaça Fortes moendo cana / Ibitipoca

Photos by Maria Bitarello
Canon AE-1 / Kodak Portra 400
Mogol / Ibitipoca MG – 2016

The Faces of Varanasi and the Ganga

Scan01

Cafe view – Varanasi / India

Scan02

Cow and human traffic – Varanasi / India

Scan03

Men / Boys – Varanasi / India

Scan04

Saddhu – Varanasi / India

Scan05

Paan wallah – Varanasi / India

Scan06

Karma is my business – Varanasi / India

Scan07

Dainik Jagran – Varanasi / India

Scan08

Blending in – Varanasi / India

Scan09

Saddhu – Varanasi / India

Scan10

Saddhu – Varanasi / India

Scan11

Moksha @ Ganga Ghat – Ganges River – Varanasi / India

Scan12

Blending in 2 @ Ganga Ghat – Ganges River – Varanasi / India

Scan13

Lighting a Puja for Shiva @ Ganga Ghat – Ganges River – Varanasi / India

Scan14

Puja wallah @ Ganga Ghat – Ganges River – Varanasi / India

Scan15

Puja for Shiva @ Ganga – Ganges River – Varanasi / India

Scan16

Mother and child @ Ganga Ghat – Ganges River – Varanasi / India

Scan17

Saddhu @ Ganga Ghat – Ganges River – Varanasi / India

Scan18

Lets bargain – Varanasi / India

Scan19

Swastika in Varanasi / India

Scan20

Ganpati Guest House welcomes you – Varanasi / India

Scan21

Man, boy and roof fixture over Ganga – Ganges River – Varanasi / India

Scan22

Saleem, rickshaw guide in Old Delhi, by Jama Masjid – India

Scan23

Welcome to Nizamuddin East – New Delhi / India

Photos by Maria Bitarello

Varanasi, Old Delhi, Nizamuddin East (New Delhi)
India – 2016

Ferrania / Ilford HP5 Plus 120mm