A vida noturna é um rito de passagem

Convenhamos: a vida cotidiana de um humano de classe média, no século 21, em ambientes urbanos é, na maior parte do tempo, previsível e ordinária. Não estou aqui pleiteando que não haja glória nas pequenas alegrias do dia-a-dia. Sou uma entusiasta da hora de ir dormir lendo um livro, de sentir o cheiro do café de manhã (ou de tarde, dependendo da sua rotina), de ir à feira sob o sol de inverno, de andar de bicicleta na ciclovia da Paulista, de ouvir o barulho da rolha saindo da garrafa de vinho (suspiros). Mas e os momentos épicos? As reviravoltas na trama? O imprevisível e o improviso? As soluções engenhosas pra problemas inesperados?

Para continuar lendo, veja a coluna no site Outras Palavras.

Advertisements

2 thoughts on “A vida noturna é um rito de passagem

  1. Li seu texto com um grande sorriso nos lábios e algumas lagrimas nos olhos. Hoje também já não frequento epopéias noite adentro, mas como gosto de seus textos…
    Curioso que gostei de alguns textos seus, sem me dar conta que eram todos escritos pela mesma pessoa. Só há pouco pensei: esse texto tem o mesmo estilo daquele outro que gostei e fui ver o autor. Todos seus, muito bom

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s